27 January 2009

ESCONDERIJO


Do jeito como vivo
é tudo aberto
Tão aberto
que escondo a alma em gavetas
e os olhos entre livros.
Saramar

Imagem: Poynter

7 comments:

© Piedade Araújo Sol said...

poema em contra mão.

ou seja podemos ler de várias maneiras.

beij

nydia bonetti said...

Saramar
Sei tão bem da alma escondida em gavetas... Consola, ter os olhos entre livros.
Brilhante.
beijos
Nydia

Adroaldo Bauer said...

Hei, meiga menina, procurando por dobras e esquinas, te encontro aqui,, assim feminina. Eram saudades das delícias escritas tuas.

Esyath said...

Saramar...

nem sempre isso é bom... porque temo quando isso acontece... não conseguir mais encontrar a pessoa que eu sou.

Beijos (Des)conexos!
www.historiasdesconexas.blogspot.com

Sueli said...

Oi, Saramar! Te achei aqui ...rs. Não conhecia este teu cantinho tão´simpático!! Parabéns! Beijão!

Compulsão Diária said...

Alma e corpo entre vivos

Casal 20 said...

Saramar, estou te descobrindo por causa do blog da Joyce Furtado. Visitei teus blogs e vi que andas sumida. Mas parabéns. Estou lendo teus versos e amando.

Fábio.