17 April 2007

FEBRE


Lumes nos seios
mãos invisíveis em vãos.
Reluzente dor a meio
e por dentro
arde.

Saramar


Imagem: Cherikov

9 comments:

Wagner said...

Adorei este blog!

fiquei feliz ao passar por aqui...

mais que tudo, quem arde aqui é a própria poesia !

abraço.

Moacy Cirne said...

Há qualquer coisa de estimulante em seus poemas... Abraços.

sonhadora said...

na magia da noite, deixo-te beijinhos embrulhados em abraços.

Dno do Bar said...

É claro que arde! Sua poesia tem garras, amiga!

Como prometido, eu voltei. Te espero lá na minha nova casa.

Beijos.
DB.
http://circus-show.blogspot.com/

Esyath said...

Saramar,

a poesia por natureza arde, porque ela em si sempre retrata a intensidade dos sentimentos...
As mãos invisíveis sempre existirão e sempre serão aquelas da vida: o amor

Beijos (Des)conexos!;)

Bill said...

Hummm Deliciosos versos como sempre.

Lindas palavras.

:****

Ana M said...

muito bonito isso. e a música embala. além de ser assim mesmo. dói e também arde. bisou.

Eärwen Tulcakelumë said...

Saramar

Sempre belas e comoventes palavras.
Venho convidar-te para receber um presente que em meu mundo existe para você.
Com carinho, deixo-te pérolas incandescentes de amizade,banhadas no rio de lavas que corre no meu mundo.
Eärwen

sonhadora said...

Deixa-me sonhar!
Beijinhos embrulhados em abraços