24 February 2007

FOME


minha fome
é de asas
se me alimentas,
parto,
livres os pés
solto o abraço
solta do teu braço.
Saramar

Imagem: Haruyo Morita

2 comments:

Mulher na Janela said...

Querida Saramar, teu lindo poema lembrou-me a canção do Raul, o Seixas: "Amor só dura em liberdade..." (A Maçã). Compreeendo o amor assim, asas abertas ao sol, por isso vi em teu poema um espelho. Espelho lindo.
Beijos...

Eärwen Tulcakelumë said...

Gostei muito, como sempre. Andavamos sumidas não?
Mas retornamos, por vezes a distância é necessária.
Pérolas incandescentes de carinho.
Eärwen