25 February 2007

NOTURNO


À noite,
papel em branco,
mente em pranto,
verto palavras.
À noite,
lua e nada.
Solidão.
À noite,
maçãs e lápis,
Lágrimas.
À noite.
Saramar

Imagem: Dani Pino

6 comments:

Márcia(clarinha) said...

Mais um recanto para lermos seus encantos, gostei!
Linda semana doce Saramar
beijossssssssss

Ricardo said...

Show de bola Saramar

Noite
Lúcida, insana
Solitária solidez
Escrevo solto
Palavras angustiadas
Aceita-me
Em prantos
Puro
Papel branco

Angela said...

Ofereces-nos masi um cantinho maravilhoso onde as palavras jogam com os sentidos e os nossos sentidos!

Todas as tuas facetas são excepcionais. Dá mesmo um enorme prazer ler-te.

Admiro-te muito!!!

Beijinho grande.

Dono do Bar said...

À noite tanta coisa verte. Toda dor se acentua, toda febre arde. Em sua escuridão, nada se esconde.

Beijos e tenha uma ótima semana.
DB.

o alquimista said...

Na noite escondem-se as sombras ouve-se o murmurio das flores...

Doce beijo

Flávio said...

À noite, parece qu eas idéias vêm mais, não é? Talvez porque a solidão se faça mais presente...